Publicado por: Mauricio | 18/11/2010

Por que não?

Você não tenta, não experimenta.
Fica aí parado, entrevado.
Olhando o tempo passando intenso.
Esperando para sempre.

Abra seus olhos, nervos e janelas.
Que se dane a calma, os lamentos da alma.
Brinde ao fim dos tempos que já se foram!
Pois há muito pouco tempo.

E num segundo, diga “sim”.
Arremessa uma mensagem.
Nesse imenso oceano invisível.
E deixe-a navegar sozinha.

Aportar em qualquer fim, finalmente.
Mas seja como for, que seja assim.
Clandestinamente, sem esperança.
Pois sempre haverá um destino.

Alguém esperando um palavra.
Um sonho, uma semente, uma resposta.
O desejo reprimido de pedir perdão.
Por que não?


Responses

  1. Gostei bastante. Soa natural, consegue “chegar” no leitor. Parabéns!

    p.s.: Conheci te blog via fcc…

    • Gostei muito do seu comentário! Simples e com conteúdo. Nunca tinha parado pra pensar nesse aspecto da “naturalidade” da poesia. Acho que isso merece até… uma poesia!!!🙂

      Obrigado!

  2. Achei lindo!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: