Publicado por: Mauricio | 21/09/2010

Útero

Sei que não soube.
Perdemos a conexão.
Umbilical, serviçal.
Trocando milagres.

Pouco nos vimos,
Muito nos demos.
Usei a seiva mãe.
Pra me nutrir.

E no ato.
Crescente.
Embebido em colo.
Incipiente.

Já fui, já era, já sou.
Errei, sofri, no dolo.
Por sua causa.
Me revirei, chutei.

Porque a vida.
Não há fim, nem saída.
Porta, nem tranca.
Contrai e expulsa.

Até quando puder.
Enquanto estiver.
A beira do próximo.
Amanhecer.

E se for diferente.
Que seja noturno.
Ao menos silencioso.
Eu e você.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: