Publicado por: Mauricio | 10/05/2008

Meu Pai

Meu pai.
Me esculta e cale-se.
Tu és quem tranforma.
O semblante turvo; 
Em face ávida.
Dos deuses do mundo.
Da terra és um só.
Sonoro e plácido.
Tu perdoas sempre.
E sempre incansável.
Forte e adiante.
Não há obstáculo.
Nem ao menos penúria.
Ah… pai,
Me acolhe tão límpido.
Que morreria em teus braços.
Mas não mereces esta agonia.
Eu prefiro viver por ti.
Pois ao longo deixaste.
Impregnado no mundo.
Minha breve viagem.


Responses

  1. Querido Filho Maurício

    Procurei consubstanciar na resposta da Poesia Meu Pai-2 todo o meu sentimento de afeto que sinto pelas palavras gravadas nas duas poesias. Lá ratifico o que já sentia e o momento se fez naquela oportunidade. Sejamos muito felizes neste clima maravilhoso da nossa família.
    Beijos do pai e amigo
    Mayrseu


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: