Publicado por: Mauricio | 29/08/2007

Nas entrelinhas*

Sejamos incoerentes.
Eternos e infinitos.
E que pare o coração.
Na beira da esteira.
Venha sem eira.
Indefinido e inconstante.
Numa cantiga.
Em velhas bobagens.
Senhor, por que não?
Gostoso é a vida.
A qualquer hora.
Em vão saboreio.
Doce como flor.
Memórias de amor.

Mauricio Bahia

 * inspirado na poesia de Luciana Valentim


Responses

  1. Que honra fazer das minhas palavras sua poesia!
    Bjs da Lu


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: