Publicado por: Mauricio | 28/08/2007

Limite

O limite é uma asa,
Uma ponta de palito.
Uma pata de barata.
Uma bala perdida.

O limite é a dor.
Um caso de amor.
Um trote de madrugada.
Uma vida amargurada.

O limite é o medo de tentar.
É tentar sem combater,
É deter a libido,
Cochichar ao pé do ouvido,
Um consolo lascivo.

É apenas um começo,
Da fração que não termina.
Pois eterna é a dízima.
Na direção do infinito.
Até o fim da linha.

Mauricio Bahia


Responses

  1. Lindo!!!!
    Limite, fio tênue
    Existe, mas não compreendemos
    Vem devagar o limiar
    Quando se instala
    Resta-nos investigar
    O tempo de recomeçar


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: