Publicado por: Mauricio | 28/08/2007

Frágil

Sincera e frágil.
A vida que me deram.
A sombra que me segue.
Seu olhar inevitável.
A chuva que me cerca.
A cerca do seu quintal.
Que voou na ventania.
E perdeu-se para sempre.

Sincera e frágil.
Sua voz serena.
O sereno da madrugada.
E o balanço das árvores.
O quebrar das ondas.
Qualquer beijo seu.
A imensa paixão.
A paz que me causou.

Mauricio Bahia


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: